Aquário: O equipamento necessário

AquAo decidir enveredar pela aquariofilia deverá ter como primeira preocupação o local onde irá alojar os peixes – o Aquário.

Existem aquários de vários tipos, tamanhos e formas. Numa primeira classificação distinguimos os aquários de água fria dos aquários de água quente de acordo com as necessidades e origens os peixes que neles irão habitar.

De acordo com a experiência e o o objectivo do aquariofilistas existem ainda: aquários comunitários, que são os mais comuns, em que podem coabitar diferentes espécies e plantas; aquários monoespécie, como o nome indica, albergam apenas uma espécie respondendo de um modo específico às necessidades da espécie em questão; aquários de reprodução, que visam apenas a reprodução da espécie pelo que tentam recriar um hidro-ambiente com qualidades muito específicas e facilitadoras da desova.

Formato

Ao longo dos anos os aquariofilistas foram aprofundando os seus conhecimentos e a sua experiência na construção de habitats cada vez mais perfeitos para os seus peixes.

Deste modo, a forma mais adequada para os aquários, quer sejam de água quente ou fria, é a forma de paralelipípeda. Esta forma permite melhores condições de limpeza, manutenção da qualidade da água e permitem uma maior superfície de contacto com o meio exterior. Os tão conhecidos aquários em forma de globo não são de todo adequados à manutenção de peixes em cativeiro pois a água suja-se rapidamente e o ar não é suficientemente renovado. Se o seu problema for o tamanho, existem actualmente no mercado aquários paralelipípedos de pequenas dimensões (60cm por 30cm) para alojamentos de um ou dois peixes. Mas não se esqueça que os peixes crescem que rapidamente poderá ter que adquirir um novo equipamento de maiores dimensões. Pondere bem e aconselhe-se na loja da especialidade onde vai adquirir os peixes.

Instalação do aquário

Antes de comprar um aquário decida onde o vai colocar. Procure um local calmo, que não seja espaço de passagem e de muitos ruídos e que não esteja exposto directamente à luz solar. Faça um check list de todo o equipamento que irá utilizar não só na montagem como também na futura manutenção: pequenos recipientes de plástico, pinça, raspador, coador, rede, esponja, sifão, filtros, lâmpadas fluorescentes, aquecedor (apenas para aquários de água quente (peixes tropicais)), termómetro, termostato, areão, plantas, pedras, madeira e água. Existem no mercado kits com todos os elementos necessários.

Antes de começar a montagem do habitat futuro dos seus peixes lave muito bem o aquário com água quente – não use qualquer detergente ou qualquer outro produto tóxico.
O areão do fundo do aquário é o primeiro elemento a colocar e o factor de sucesso na boa manutenção dos peixes e plantas. Por um lado permite o alojamento das bactérias que eliminam os poluentes e por outro permite a fixação das plantas decorativas. Espalhe o areão de modo que fique uma inclinação de trás para a frente pois facilita a tarefa de limpeza. Recomenda-se uma granulometria entre 3 a 6 mm pois deste modo não sujará a água.

Coloque agora alguns elementos decorativos como pedras, troncos secos. Certifique-se sempre que todos estes elementos estão bem lavados (apenas com água quente) e recrie alguns locais de refúgio para os peixes mais tímidos e para a desova.

De seguida monte o filtro motorizado e o aquecedor (apenas em aquários de peixes tropicais de água quente) (leia sempre as instruções que acompanham os produtos!).

O próximo elemento a integrar o aquário é a água. Sendo este o elemento vital para os peixes prepare-a bem antes de a introduzir. A água comum da torneira contém vários elementos como o cloro ou metais pesados que são altamente prejudiciais para os peixes. Deste modo recorra a produtos à venda no mercado da especialidade para neutralizar estes elementos nocivos. Depois de se certificar estar perante água em excelentes condições para a sobrevivência dos peixes e das plantas, encha o aquário até meio. Não coloque a água directamente no areão pois poderá criar buracos e deformações não desejáveis no fundo.

Poderá agora decorar o seu aquário com as plantas aquáticas adequadas à temperatura da água do aquário. Estas dão um bonito colorido e ajudam na produção de oxigénio eliminando as substâncias nocivas.

Encha depois o resto do aquário e ligue todos os instrumentos. Deixe repousar durante uma ou duas semanas antes de colocar os peixes para que a biodiversidade do mesmo ganhe actividade.

Plantas

Tente sempre dar aos seus peixes um ambiente o mais parecido possível com o seu meio natural. Para manter um aquário sempre límpido e bem oxigenado decore-o com bastante vegetação. As plantas, através da fotossíntese, absorvem o gás carbónico libertado pelos peixes devolvendo-o ao meio aquático na forma de oxigénio. Esta função desenrola-se principalmente durante o dia, quando incide uma boa quantidade de luz no aquário (nunca raios de sol directos), podendo no entanto ser “forçada” recorrendo a lâmpadas. Mas como detectar se as plantas precisam de mais ou menos luz? Se elas apresentarem um tom amarelado e a água tiver tendência para escurecer é porque será necessário providenciar mais luminusidade ao aquário. Por outro lado, se as plantas estiverem a ser cobertas de algas verdes e a água tomar uma coloração esverdeada, é porque a luminusidade é excessiva.

As plantas, que poderá encontrar facilmente à venda nas lojas da especialidade, dividem-se em flutuantes e submersas. De acordo com a sua tendência estética e decorativa poderá optar por um grande leque de alternativas, tendo sempre o cuidado de antes de as colocar do aquário, retirar as folhas amareladas e megulhá-las numa solução fraca de pragnato de potássio de modo a eliminar qualquer potencial doença para os peixes

Para além do aquário em si existem outros utensílios e equipamentos indispensáveis ao bom funcionamento e manutenção do mesmo. Se seguida apresentamos alguns desses equipamentos que o ajudarão a cuidar dos seus peixes e que poderá adquirir nas lojas de animais de estimação.

Filtros

Os filtros têm por finalidade eliminar impurezas da água. Os mais utilizados são activados por um compressor de ar que impulsiona a circulação da água no aquário através de um filtro. Deste modo, a água não só fica mais limpa como também reforça o seu teor de oxigénio indispensável à sobrevivência dos peixes.

Aquecedores

Para além das lâmpadas eléctricas colocadas junto à superfície, o aquário pode também ser aquecido através de um aquecedor eléctrico de imersão. Este é por sua vez controlado por um termostato que permite manter a água a uma temperatura constante. Procure um aquecedor de boa qualidade, pois o permanente estado de imersão deteriora os materiais podendo provocar avarias e mesmo curto-circuitos.

Termómetros

Embora o aquecedor traga (normalmente) acoplado o termostato, é sempre conveniente recorrer a um termómetro para periodicamente controlar o seu funcionamento. Este deve ser colocado no fundo do aquário.

Redes

As redes são um instrumento indispensável ao aquariofilista para transportar peixes de um aquário para outro. O seu tamanho deve permitir a livre movimentação no interior do aquário e a malha da rede deve ser bastante fina (tipo mosquiteiro). Recomendámos o uso de redes rectangulares pois estas permitem a captura dos peixes mesmo se estes se refugiarem nos cantos do aquário.

Sifões

Os sifões têm o formato de um tubo de vidro e são utilizados para retirar pequenas impurezas. Tapa-se uma extremidade com o dedo e depois mergulha-se o sifão na água até a outra extremidade se aproximar das impurezas. De seguida destapa-se a extremidade que está de fora de água e por força da gravidade as impurezas são sugadas para dentro do sifão. Para terminar, volta-se a tapar a extremidade do sifão e retira-se da água.

Pinças e Raspadores

As pinças são usadas para plantar ou retirar as plantas do aquário. Devem ser suficientemente longas para chegar do fundo do aquário sem ter que mergulhas a mão. Os raspadores são muito úteis na limpeza das algas das paredes do aquário.

Originalmente publicado na Arca de Noé: Fonte
Algumas imagens poderão conter direitos de autor, indicados na fonte.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer contribuir para a discussão?
Sinta-se a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *