Aquário Tropical: Passo-a-Passo

 

AquDesde que surge a vontade de ter um aquário tropical até ao espectáculo de ter os peixes a nadar lá dentro, é necessários tomar algumas decisões, adquirir os aparelhos, montar e finalmente manter o aquário. No início tudo parece complicado, mas ficam aqui alguns passos simplificados para facilitar o processo aos iniciantes.

Passo 1: Decisões

Antes de fazer qualquer tipo de compra, deve decidir o que pretende ter. Pesquise os tipos de peixe que gosta e confirme se são compatíveis. Existe muita informação sobre as espécies disponíveis na internet. O lojista ou o criador são também boas fontes de informação. Tenha em atenção o volume de água de que vai necessitar para os peixes escolhidos e verifique se tem condições para comprar esse tipo de aquário. Tenha a noção de que o investimento inicial é significativo. Caso tenha de fazer as comprar faseadamente, é preferível reunir primeiro tudo o que necessita e só depois lançar-se na montagem. Um aquário não trabalha eficazmente sem todos os equipamentos necessários e pode comprometer a vida dos peixes, acabando por gastar mais dinheiro com a sua substituição.

Passo 2: Equipamentos

Aquário

Para iniciantes aconselha-se aquários grandes onde é mais fácil controlar os parâmetros da água necessários para a sobrevivência dos peixes. Em aquários pequenos, o ambiente é mais instável e a quantidade de peixes que se pode ter é muito menor.

Iluminação

A iluminação para aquários tropicais pode variar desde lâmpadas simples e pequenas até algo mais elaborado para aquários plantados. Se não vai colocar plantas naturais, opte por uma lâmpada das mais básicas. Alguns aquários já vêm equipados com lâmpadas que servem perfeitamente desde que não utilize plantas naturais.

Filtragem

Os filtros são essenciais para limpar a água e mantê-la oxigenada. Opte por filtros que realizem uma filtragem mecânica, química e biológica, sendo esta última a mais importante. A potência do filtro está relacionada com o volume de água do aquário: quanto maior o volume, mais potente deve ser o filtro. Em caso de dúvida entre uma potência mais baixa e outra mais elevada, compre sempre o filtro para a mais elevada, uma vez que os filtros com a indicação de apropriados para aquários de 50 a 100 litros, muitas vezes funcionam apenas em óptimas condições em aquários de 50 litros.

Aquecimento

Existem dois tipos de aquecimentos utilizados mais commumente: os que são colocados pendurados na parte de trás do aquário e os que são submersíveis. Os primeiros tendem a ser mais baratos do que os segundos com a mesma qualidade, mas qualquer uma destas opções serve para aquários tropicais. Na embalagem do aquecedor encontra a indicação de qual o aquário aconselhado para esse tipo de aquecimento e não deverá ser complicado encontrar aquele que mais se adapta ao volume de água que o seu aquário tem, mas geralmente aconselha-se 1 watt por litro.

Os aquecedores devem ter um termóstato incluído (podendo também ser comprado à parte) para que seja mais segura a sua utilização. O termóstato mantém a temperatura da água no nível indicado e impede o sobreaquecimento. Caso não tenha um termóstato incluído, deverá ter cuidados redobrados com a manutenção da temperatura e desligar/ligar o aquecedor de acordo com as variações da temperatura da água.

Para verificar a temperatura, que nos aquários tropicais deve rondar os 25ºC, dependendo dos peixes, deve utilizar um termómetro. Os termómetros de vidro são bastante fiáveis e são provavelmente a melhor opção qualidade/preço. Contudo, em termos de precisão e facilidade de leitura, os melhores termómetros são os digitais. Os mais baratos podem não ser muito precisos, mas os mais caros são muito precisos e são os mais fáceis de ler. O termómetro de cristais líquidos, uma tira de plástico que se cola ao vidro, não é fácil de ler nem muito preciso, mas pode servir como um bom termómetro auxiliar.

Substrato

Areão com 3 a 5 mm é uma boa opção para substrato, permitindo a realização da filtragem biológica e a fixação das plantas artificiais ou outros elementos decorativos. Utilize apenas substratos feitos especificamente para aquários, para evitar a contaminação do ambiente criado.

Se utilizar plantas naturais deve optar por várias camadas de substrato: húmus, algum cascalho e areia.

Plantas

As plantas colocadas nos aquários podem ser verdadeiras ou plastificadas. Para os peixes, ambas servem como esconderijo. Esteticamente, as plantas verdadeiras ficam melhor, mas exigem mais cuidados. Apesar de fornecerem mais oxigénio durante o dia, as plantas verdadeiras acabam por consumi-lo durante a noite. Não são, por isso, substituto de qualquer tipo de oxigenação.

Decoração

Existem várias opções para decorar o aquário: pedras, troncos e outro tipo de objectos, como o tradicional barco afundado. Os objectos não devem ter arestas bicudas, para impedir que os peixes se possam magoar. A decoração pode “roubar” litros aos aquários, por isso se tiver um aquário muito decorado, é importante saber o mais aproximadamente possível, o volume de água que possui.

A decoração deverá proporcionar esconderijos para que seja mais funcional. Antes de introduzir qualquer objecto, deve lavá-lo apenas com água. Caso utilize troncos ou pedras recolhidas na natureza, deve saber primeiro se são compatíveis com o aquário. Não utilize, por exemplo, pedras calcárias. Para os troncos, deve deixá-los de molho durante pelo menos um mês, com duas trocas semanais de água.

Passo 3: Montagem

Depois de adquirir todos os equipamentos necessários, chegou a hora de montar o aquário. Antes da montagem deve lavar tudo aquilo que comprou com água, não utilizando detergentes.

Passos para a montagem:

  • Colocação do substrato;
  • Adição de água – Para não estragar o trabalho que fez com o substrato e plantas, coloque um prato no centro do aquário e despeje com cuidado a água para cima deste. Não encha o aquário por completo se ainda tem decoração a colocar, ou corre o risco de ter água a mais no aquário que pode verter quando introduzir a mão. A água colocada no aquário deve estar à temperatura ambiente.
  • Instale o equipamento – Com a água à temperatura ambiente, instale os aparelhos que faltam. Tenha cuidado para não molhar os fios dos aparelhos e verifique se os fios estão secos depois de instalados. Por fim, ligue os aparelhos.

 

Passo 4: Compasso de Espera

Esta é provavelmente a parte menos apreciada na montagem de uma aquário. Antes de colocar os peixes, o aquário deve fazer o ciclo de nitrogénio, para aumentar as hipóteses de sobrevivência dos peixes. Um aquário só está pronto para receber os peixes quando estiver devidamente ciclado. Para dar início ao processo deve adicionar um pouco de amónia ou matéria morta, como por exemplo, parte da alimentação de um peixe. Este ciclo demora algumas semanas, no máximo seis, mas pode ser acelerado com plantas naturais, adição de água de um aquário já existente, etc. Para saber quando o ciclo terminou, deve-se fazer medições aos parâmetros químicos da água durante esse processo. No início do ciclo, os valores de nitrito sobem e quando este cai para valores nulos, o ciclo foi concluído. É aconselhável também que se façam testes ao ph, amónia e nitrato para garantir que o aquário está pronto para receber os novos inquilinos.

Passo 5: Juntar os Peixes

Quando o ambiente do aquário se torna estável, pode, por fim, juntar os peixes que deseja. Aconselha-se que o faça progressivamente para que o ambiente criado no aquário se habitue a processar uma quantidade crescente de dejectos. Introduza primeiro os peixes mais resistentes, que consigam suportar melhor as variações químicas da água que possam ocorrer. Coloque apenas um ou dois peixes de cada vez e faça-o da seguinte forma:

Coloque o saco de plástico fechado a flutuar no aquário durante 10 minutos para que o peixe se habitue à temperatura;
Introduza uma pequena parte da água do aquário dentro do saco, para que o peixe se habitue ao PH;
Por fim, retire o peixe do saco.

Não alimente o peixe no primeiro dia. O animal precisa primeiro de se habituar ao seu novo espaço. Se lhe oferecer comida, o mais provável é ele próprio a recusar.

Passo 6: Manutenção

Um aquário não sobrevive sem manutenção regular do dono. Para além de alimentar os peixes, deve também manter a água do aquário limpa e com os níveis químicos desejados. Faça testes regularmente e conforme os resultados, faça trocas parciais de água. Geralmente estas são feitas semanalmente ou duas vezes por semana, para reduzir os níveis de nitritos.

Originalmente publicado na Arca de Noé: Fonte
Algumas imagens poderão conter direitos de autor, indicados na fonte.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer contribuir para a discussão?
Sinta-se a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *