Catatuas Negras

Catatuas NegrasCatatuas Negras – 1ª Parte

Catatua negra Glossy
Calyptorhynchus lathami
Ave de médio/grande porte frequentemente confundida pela Catatua negra de cauda vermelha. Os machos são completamente negros com uma banda vermelha na parte inferior da cauda. As Fêmeas e as aves jovens têm manchas irregulares de penas amarelas na cabeça, estas manchas diferem de indivíduo para individuo e podem ser encontradas fêmeas com a cabeça quase toda amarela, a parte inferior da cauda com penas que variam do laranja escuro ao amarelo riscado de negro. As aves imaturas podem ser também pintalgadas nas costas de amarelo e ter manchas amarelas também no peito. É uma ave que, ao contrário das Catatuas negras de cauda vermelha, raramente descem ao chão. Vivem em grupos familiares em áreas arborizadas e em florestas de Casuarinas no lado Este australiano e na ilha de Kangaroo. As Catatuas Glossy alimentam-se principalmente de sementes da árvore Casuarina, bem como de semente de Eucalipto, Angophoras e Acácias.

No estado selvagem estas aves escolhem o seu ninho numa cavidade num Eucalipto situada entre os 10 e os 20 metros de altitude. Ambos os membros do casal escavam o interior da arvore de modo a alargá-lo e a triturar as paredes do ninho. Essas aparas de madeira triturada ficam no fundo do ninho onde será incubado pela fêmea durante 29 dias um único ovo. O macho alimenta a fêmea durante a incubação. Em cativeiro, as preferências quanto aos viveiros, ninhos e restantes cuidados assemelham-se muito às suas parentes de cauda vermelha. A cria após sair do ninho fica dependente dos pais por mais de 3 meses. Em todas estas Catatuas recomenda-se que a rede dos viveiros seja o mais forte possível pois estas aves têm uns bicos muito potentes e facilmente abrem buracos em redes mais frágeis.

Esta Catatua é um dos Psitacídeos mais difíceis de criar à mão. A maioria dos problemas acontece na primeira semana. Aconselha-se a quem deseje criar estas aves à mão, que deixe ficar as criar com os pais até terem 10 dias ou mais e só depois se poderá alimentar as crias à mão mais facilmente. Esta é também a Catatua mais cara.

Catatua Negra de Cauda Amarela
Calyptorhynchus funereus
Catatua de grande porte com o corpo negro pintalgado de amarelo, com faces amarelas e grandes bandas amarelas na cauda riscadas de negro. Os machos têm bico preto, a membrana que circula o olho cinzenta escura e faces amarelo escuro. As fêmeas adultas têm bico branco ou cinzento claro e a membrana do olho e a face em tons mais claros. As aves jovens são como as fêmeas mas com os bicos cinzentos escuros. Vivem em grandes bandos havendo uma diferença de hábitos entre as Catatuas encontradas mais a Oeste e as mais a Este. As Catatuas que vivem mais a Oeste são facilmente encontradas no chão enquanto que as suas vizinhas mais a Este vivem somente na copa das arvores descendo raramente ao solo. São também Encontradas no arquipélago da Tasmânia. As arvores de eleição desta espécie são os Eucaliptos e os Pinheiros que foram introduzidos pelos Europeus.

No estado selvagem esta ave difere das outras atrás descritas porque a postura é de 2 ovos (geralmente postos com uma diferença de 2 a 7 dias) e são incubados pela fêmea nos primeiros 20 dias, a fêmea é ajudada pelo macho nos restantes dias. A segunda cria, se nasce é quase sempre abandonada. Sugere-se ao avicultor que tente a criação à mão de pelo menos da segunda cria. Estas aves são fáceis de alimentar à mão com uma formula apropriada dando origem a aves saudáveis e muito boas para reprodução. A maturidade destas aves verifica-se aos 4 anos de idade tendo acontecido casos das aves se reproduzirem com sucesso aos 2-3 anos de idade.

Catatua Negra de Cauda Branca
Calyptorhynchus baudinii
Aves de grande porte. Têm o corpo negro-acastanhado com a plumagem levemente sombreado a branco, faces brancas e penas inferiores da cauda também brancas. Os machos adultos têm os bichos escuros e as fêmeas os bicos claros. As aves jovens assemelham-se às fêmeas. No estado selvagem são encontradas em grupos familiares ou em grandes bandos nas florestas de Eucaliptos, áreas arborizadas e mesmo em parques ou jardins do Sudoeste australiano. Alimentam-se de sementes de eucalipto, frutos e insectos. A preparação do ninho é feita pelo casal, geralmente numa cavidade num eucalipto, semanas antes da postura do primeiro ovo de (geralmente) dois. A incubação dura entre 28-30 dias e as crias saem do ninho com cerca de 70 dias mas permanecem dependentes dos pais mais 3-4 meses.

Em cativeiro estas aves criam em condições semelhantes às anteriores mas, das quatro espécies faladas, são as mais difíceis de conseguir que se reproduzam. A corte destas aves pode durar meses e todo o ritual é muito descarado, geralmente as posturas mais tardias são as que têm tido mais sucesso, se uma postura é feita muito cedo geralmente resulta em ovos claros. Os dois ovos são postos com alguns dias de diferença e geralmente a segunda cria é abandonada. Mais uma vez se aconselha a criação à mão da segunda cria. As crias da Catatua negra de cauda branca são fáceis de alimentar à mão. Um criador sabe sempre quando têm fome e é muito recompensador vê-las crescer e dar os primeiros voos.

Espero que a “apresentação” destas espécies entusiasme alguns criadores a dedicarem-se a estas aves, que são magnificas, muito bonitas e ainda pouco conhecidas em Portugal.
Os potenciais criadores portugueses têm nestas aves um desafio no qual vale a pena investir.

Originalmente publicado na Arca de Noé: Fonte
Algumas imagens poderão conter direitos de autor, indicados na fonte.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer contribuir para a discussão?
Sinta-se a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *