Apelo Externo: Animal Desaparecido Anúncio 53827

Estudo confirma que cães rejeitam pessoas que são más para os donos

Foi lançado na semana passada um estudo japonês que vem confirmar uma quase certeza que qualquer dono de um cão tem, os cães não gostam de pessoas que são más para os donos.

Uma equipa liderada por Kazuo Fujita, da Universidade de Quioto, concebeu um teste com três grupos de 18 cães em que os donos tinham que abrir uma caixa. Nos três grupos o dono estava acompanhado por duas pessoas desconhecidas. No primeiro grupo o dono pediu ajuda a uma das pessoas que se recusou a ajudar. No segundo grupo o dono pediu ajuda a uma das pessoas que aceitou ajudar. Em ambos os grupos a terceira pessoa não teve qualquer intervenção. No terceiro grupo ninguém interagiu com os dois intervenientes desconhecidos.

Depois da interacção entre dono e desconhecidos, foi pedido aos desconhecidos que oferecessem comida ao cão. Aquilo a que assistiram foi que os cães dos donos que não tiveram ajuda se mostravam mais abertos a receber comida dos desconhecidos que não interagiram com o dono, ignorando a pessoa que rejeitou abertamente ajudá-lo. Já os cães cujos donos receberam ajuda ou não interagiram com os desconhecidos não mostraram preferência  ao aceitar comida dos estranhos.

Com este estudo Fujita afirma que podemos comprovar a natureza social dos cães, “descobrimos pela primeira vez que os cães fazem avaliações sociais e emocionais das pessoas independentemente do seu interesse directo”.

Esta acção deliberada de rejeitar comida em prol do bem estar da família, demonstra uma inteligência emocional que poucas espécies partilham e nos humanos se revela apenas a partir dos 3 anos.

“Esta capacidade [dos cães] é um dos factores-chave na construção de uma sociedade altamente colaborativa e este estudo mostra que os cães partilham essa capacidade com os humanos”, conclui Fujita.

Fonte: Yahoo

Originalmente publicado na Arca de Noé: Fonte
Algumas imagens poderão conter direitos de autor, indicados na fonte.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer contribuir para a discussão?
Sinta-se a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *