Viajar com o seu réptil

Viajar com o seu rViajar com um animal de estimação requer alguma ponderação e preparação antes de partir.
A primeira cosa a fazer é avaliar se o seu animal tem capacidade para mudar radicalmente de meio. Pode ser demasiado novo ou demasiado velho, estar a recuperar de um período de doença ou simplesmente ser bastante frágil de não aguentar a viagem. A melhor opção será então procurar alguém conhecido ou um hotel para animais que possa tomar conta do seu animal convenientemente. Nestes casos também terá que ter alguns cuidados, não basta entregar o animal. Faça um pequeno relatório onde descreve os pontos principais que descrevem o comportamento e o historial clínico do seu animal, assim como o contacto veterinário. Constitua uma pequena reserva dos alimentos habituais e dos utensílios para que ele não sinta uma diferença tão grande ao mudar para outra casa ou para um hotel.

Se a sua opção recair pela hipótese de levar o seu animal então siga e cumpra as seguintes tarefas:

1. Marque uma consulta com o veterinário antes de partir

Faça um check up ao animal para detectar eventuais sintomas que o impeçam de viajar. Informe o veterinário para onde vai e quanto tempo vai estar ausente. O médico, melhor que ninguém, saberá quais as precauções a tomar para evitar doenças, parasitas ou mesmo mau estar por se encontrar fora do meio habitual. Pode mesmo ser preciso (dependendo do local para onde for) obter certificados de vacinação e sanidade o que facilita o tratamento em caso de emergência dentro e fora do país.

2. Alojamento na viagem

A melhor forma de transportar o seu réptil depende da sua espécie e natureza. Provavelmente o terrário que tem em casa não será o melhor alojamento de viagem. Existem habitualmente nas lojas de animais de estimação um contentores específicos para animais. Este deverá ter o tamanho suficiente para que este se possa levantar e movimentar, ter ventilação, não conter objectos perigosos no interior e um fundo com material absorvente e à prova de fugas de líquido. Por fora deverá escrever o nome do animal, a sua morada e um telefone de contacto. Verifique qual o tipo de contentor aceite para o seu réptil, no meio de transporte que vai utilizar. As companhias aéreas regem-se por normas bastante rígidas nesta matéria.

3. Identificação

A identificação do seu animal é extremamente importante para o poder recuperar mais facilmente em caso de perda, fuga ou extravio. Para além da identificação no contentor, deverá também colocar no seu animal algum elemento identificativo com nome, morada e número de telefone de contacto.

4. Material que deve levar consigo

  • Alojamento completo para o período de estadia (um terrário por exemplo)
  • Comida suficiente para a viagem (e mais se no destino não puder adquirir)
  • Água fresca para toda a viagem
  • Recipientes para a comida e água
  • Utensílios habituais usados para tratamento e manuseamento do seu animal
  • Medicamentos recomendados pelo veterinário

5. Planeie a viagem com antecedência

No que toca a répteis existe em muitos países legislação muito específica e limitativa à entrada de animais deste género. Isto explica-se principalmente pelo abundante contrabando destas espécies e muitas vezes pela sua potencial perigosidade quer para o homem quer para os restantes animais. Deste modo, informe-se na sua agência de viagens, se pode fazer-se acompanhar do animal e se precisa de alguma documentação específica (compra, veterinária ou sanitária) . Ao planear a viagem procure também obter o contacto de um veterinário na zona e verifique se pode comprar lá a alimentação necessária. Escolha um hotel (alojamento) que aceita a permanência de animais (certifique-se sempre, o melhor é mesmo telefonar antes).

6. Nunca dê ao seu animal calmantes ou tranquilizantes a menos que tenham sido prescritos pelo veterinário.

Este tipo de medicamentos podem diminuir os factores de equilíbrio e reacção impedindo o animal de fugir e ultrapassar eventuais situações de risco durante a viagem.

Originalmente publicado na Arca de Noé: Fonte
Algumas imagens poderão conter direitos de autor, indicados na fonte.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer contribuir para a discussão?
Sinta-se a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *